Você ainda não adicionou produtos.

GRYPHUS GEEK

AMOR E DEDINHOS DE PÉ - ROMANCE DE MACAU, de Henrique se Senna Fernandes

AMOR E DEDINHOS DE PÉ - ROMANCE DE MACAU, de Henrique se Senna Fernandes
Fabricante: Gryphus Editora - Catálogo Geral
Modelo: Impresso
Disponibilidade: Em Estoque
Preço: R$ 45,90
Qtd:  

Muito antes de a Inglaterra se firmar como o império onde o sol nunca se põe, os portugueses fincaram a cruz e a espada em territórios onde jamais a cristandade havia chegado. Do Brasil ao extremo oriente, o domínio da coroa portuguesa se fez presente, deixando como legado traços da arquitetura, religião, culinária e, sobretudo, da língua. É por conta desse passado já tão distante que hoje a língua de Camões é o idioma adotado por escritores tão diversos que, em comum, dividem apenas a herança lusófona de seus colonizadores.

 

Em tempos do acordo ortográfico, em que se busca derrubar as barreiras da língua portuguesa falada e escrita em locais tão diferentes entre si, a ioption opinioni Gryphus Editora lança no Brasil o romance http://skylinemediainc.com/?pokakal=opcje-binarne-czy-to-dzia%C5%82a&8e1=a6 " köp Cialis 60 mg master Amor e dedinhos de pé" e o livro de contos opzioni binarie strategie vincenti.com " click here for info Nam Van - contos de Macau", do escritor my response Henrique de Senna Fernandes, considerado uma verdadeira ‘instituição’ em Macau, na China.

 

Os livros recuperam histórias do único entreposto ocidental da costa da China até a fundação de Hong Kong. Fernandes revela as peculiaridades do encontro das culturas portuguesa e chinesa e as particularidades do idioma português falado em Macau. O sentimento de superioridade português, o isolamento social, as hierarquias de classe e lingüística servem de pano de fundo para desvendar as histórias de uma tradição em vias de se extinguir.

 

Fernandes, de 85 anos, é, sem dúvida, um dos últimos representantes da ponte erguida no século XVI unindo Portugal à China. A retomada de Pequim do enclave português em 1999 acelerou o fim do passado colonial. O escritor é também um dos últimos remanescentes a dominar o dialeto patuá, que mescla o chinês cantonês com o português. Até o século XX, a população de Macau falava predominantemente o patuá. O amor por estas histórias foi resumido pelo escritor na frase: web "Se Portugal é minha pátria, Macau é minha mátria".

try this  

stockpair berichte Romance "Amor e dedinhos de pé"

 

Ambientado no início do século XX em Macau, http://traffic-dealer.de/?kruwa=kostenloses-demokonto-für-binäre-optionen kostenloses demokonto für binäre optionen "Amor e dedinhos de pé" conta a história de Chico Frontaria, um dos últimos remanescentes da família de origem portuguesa que construiu fortuna e boa reputação no tráfico de mercadorias e no combate à pirataria nos portos do sul da China no comando de lorchas, um tipo de embarcação usada na região. A linhagem prosperou no negócio e ergueu robusto patrimônio. A decadência veio com a Guerra do Ópio, a fundação de Hong Kong e os avanços da presença inglesa na China. Os membros da família se dispersaram por outros portos chineses, onde também havia famílias portuguesas estabelecidas.

 

Francisco Frontaria ficou órfão cedo e foi criado em meio a mimos pelos irmãos Títi Bita e Timóteo Frontaria, seus tios. Esperança de continuidade da família, Francisco foi atendido em todos os seus caprichos e cresceu de maneira leviana, desenvolvendo pouco apego aos estudos, além do irresistível hábito da boemia. Na cidade-cristã em pleno oriente, levou a vida nos moldes mundanos ocidentais. Divertia-se na festa pagã do Entrudo, gastava sem preocupações e apostava com os amigos suas conquistas amorosas.

 

A vida desregrada e pautada por vícios lhe valeu a boa reputação da família e lhe custou a herança deixada pela tia, sua principal protetora. Chico caiu em desgraça, conheceu a fome e as privações. Submeteu-se às humilhações de uma matriarca chinesa, solteirona, grosseira e bruta, a quem prestava favores sexuais em troca de um teto e comida. E, num ardil, para recuperar algum dinheiro, arquitetou um plano, que agravou sua situação, ao entregar uma jovem e pobre chinesa nas mãos de um senhor também chinês, angustiado em recuperar a virilidade.

 

Sua derrocada se agravou com a proliferação de uma infecção nos pés que lhe causava dores terríveis e exalava um cheiro pestilento, causando a repulsa de todos e lhe valendo a alcunha pejorativa de Chico-Pé-Fede. É, no entanto, na mais profunda miséria que Chico tem a derradeira oportunidade de restabelecer a dignidade de sua condição humana.

 

O reencontro com Vitorina Vidal - mulher solteira com mais de 30 anos, de origem espanhola, excessivamente magra e estrábica de um olho, e a quem nos áureos tempos Chico apelidou de Varapau-de-Osso – acaba por ser também o momento de redenção do personagem. Humano e singelo, o romance é também um registro precioso dos costumes e do desterro português na China.

Características
Ano de publicação 2008
Autor HENRIQUE DE SENNA FERNANDES
ISBN 9788560610181
Páginas 296

Encontre-nos

Rua Major Rubens Vaz, 456
Rio de Janeiro, RJ
CEP 22470-070
Tel: 21 2533-2508
Fax: 21 2533-2508
gryphus@gryphus.com.br